Inscreva-se

O seminário TIQ2 promove formação exclusiva com o objetivo de formar o aluno com o conhecimento teórico e prático necessários para o desempenho profissional, no diagnóstico e tratamento das disfunções neuro-músculo esqueléticas através de um programa original da quiropraxia americana, baseado em evidências, com todos os protocolos revisados, aperfeiçoados e aceitos pela comunidade científica mundial.

Pré-requisito: realização de Seminário TIQ1

Para obter a certificação completa é necessário cursar os níveis 1,2 e 3.

– Executar uma técnica de ajuste ou manipulação, confortável, segura e precisa,

– Aplicar na prática clínica um sistema de avaliação centrado apenas na análise do comprimento das pernas,

– Diagnosticar e tratar qualquer disfunção neuro-músculo-esquelética,

– Manusear o instrumento de ajuste quiroprático mais utilizado no mundo,

– Utilizar as manipulações instrumentais dentro do seu próprio sistema de trabalho,

Pré-requisito: realização de Seminário TIQ1

1 – PRECISÃO
Ao utilizar o método com o instrumento, é possível identificar o ponto exato, onde é necessária a correção da sub luxação ou disfunção. Devido a área de contato ser pequena no instrumento, conseguimos manipular articulações pequenas e pontos vertebrais em que normalmente o contato manual é difícil ou desconfortável.

2 – CONTROLE
Força, freqüência, torque, velocidade e impulso gerados pelo instrumento, fornecem a quantidade exata de energia para normalizar a função biomecânica.

3 – CONFORTO
Durante o tratamento, o paciente estará confortavelmente relaxado em postura neutra, sem a necessidade de mudanças de posição e movimentos ativos.

4 – RAPIDEZ
O impulso rápido, porém controlado, é o segredo para a eficiência deste procedimento.

5 – RESULTADO
Mais de 90% dos pacientes apresenta melhora significativa na primeira sessão.

6 – ACERTIVIDADE
O procedimento direto sobre a articulação evita a utilização de diferentes parâmetros de movimento para realizar a manipulação.

7 – EFICÁCIA
Pesquisas científicas comprovam os resultados do tratamento. Porém, estamos buscando melhorar a qualificação das evidencias.

8 – CONFIANÇA
Possibilita mensurar visivelmente e imediatamente os resultados obtidos.

9 – CONSISTÊNCIA
Padroniza a metodologia na aplicação, fazendo com que diminua a diferença de resultados entre os examinadores.

10 – RECONHECIMENTO
É patenteado para a correção de subluxações, sob registro e licença no FDA 510k (USA).

  • Revisão do protocolo básico e esclarecimento de dúvidas
  • Testes base (TB3 /TB4 e TB5) para determinar o tipo de disfunção vertebral
  • Técnicas de ajuste vertebral em flexão, extensão, inclinação e rotação
  • Exame e ajuste do sacro (flexão/extensão/lateral/rotação)
  • Exame e ajuste do sacro ilíaca (SAI / SPS / II / IE)
  • Exame e ajuste do cóccix (lateral D e E / flexão / extensão)
  • Exame e ajuste do púbis (anterior D e E / lateral D e E)
  • Exame e ajuste do ilíaco (EIPS/ísquio)
  • Exame e ajuste da coluna lombar (L3/L1)
  • Exame e ajuste da coluna torácica (T11/T10/T9/T7/T5/T3/T2)
  • Exame e ajuste de costelas específicas (2c/3c/4c/11c/12c/costovertebral)
  • Exame e ajuste de tórax (processo xifóide/manúbrio)
  • Exame e ajuste da coluna cervical (C6/C4/C3/C2)
  • Exame e ajuste da craniomandibular (occipital lateral/inferior/ATMs)
  • Exame e ajuste para síndrome facetaria, chicote, radiculopatia, cefaléia e sinusite
  • Apresentação do conceito Upper Cervical Specific Technique “Hole in One”
  • Exame e ajuste específica do atlas orthogonal em decúbito ventral (exclusivo)
  • Manipulação instrumental associado a movimentos ativos (exclusivo)
  • Observações clínicas ao paciente geriátrico
  • Quadro clínico e patologias relacionadas
  • Atendimento de paciente e discussão
  • NOVIDADE: Possibilidade 4 Cervical Alta (exclusivo)

– Marcio Luiz Tosi – SP

– Daniel Barreto Rabelo – MG

– Vitor Assis Lorentz – ES

– José Roberto Oliveira – SP

– Daniella Mara Lopes Coelho – CE

– Rafael Cotta de Souza – RJ

– Mariella Trecenti Capoani – SP